terça-feira, 30 de junho de 2015

Resultado do I Concurso de Trovas de Itapema


TEMA MARÉ – VETERANOS

1º. Lugar
Venci marés violentas,
ondas e mares sem fim...
Só não venci as tormentas
que existem dentro de mim!
Prof. Garcia – Caicó/RN

2º. Lugar
Viver é desafiar
as marés enfurecidas
que teimam em afundar
o barco das nossas vidas...
Ercy Maria Marques de Faria – Bauru/SP

3º. Lugar
Sem contar com teu carinho,
na praia, em pleno verão,
a maré vem de mansinho
molhar minha solidão...
Antonio Colavite Filho – Santos/SP

4º. Lugar
Sem um porto verdadeiro
onde ancorar os meus pés,
meu coração jangadeiro
vive ao sabor das marés!
Arlindo Tadeu Hagen – Juiz de Fora/MG

5º. Lugar
Em fantasias, singrando
nas marés onde navego,
meu barco tem o comando
dos sonhos a que me entrego!
Edmar Japiassu Maia – Nova Friburgo/RJ

6º. Lugar
Na vida, contra a maré
eu remo e jamais afundo
pois quem tem força e tem fé
transpõe marolas do mundo.
José Henrique da Costa – Magé/RJ

7º. Lugar
O mar, quando vê desfeita
a fúria da maré cheia,
na praia, exausto, se deita
e se abraça com a areia.
Sandro Pereira Rebel – Niteroi/RJ

8º. Lugar
Quando, à noite, a maré cresce,
e o plenilúnio incendeia,
o oceano se incandesce,
prateado: - É lua cheia!
Fabiano de Cristo Magalhães Wanderley – Natal/RN

9º. Lugar
Nas praias do desencanto
onde a saudade passeia,
a maré se eleva tanto
que joga os sonhos na areia!
Eduardo A. O. Toledo – Pouso Alegre/MG

10º. Lugar
Sob os raios do luar,
as ondas ficam de pé,
querendo a lua alcançar
no refluxo da maré.
Sônia Maria Sobreira da Silva – Rio de Janeiro/RJ

11º. Lugar
A maré, tão impulsiva,
esbanjando inquietude,
parece a locomotiva
do viço da juventude.
Heder Rubens Silveira e Souza – Natal/RN

12º. Lugar
Com a fronte sempre erguida
e robusto em minha fé,
vou singrando o mar da vida
alheio a qualquer maré!
José Antonio de Freitas – Pitangui/MG

13º. Lugar
Pela maré empurradas,
as ondas, quais corredeiras,
parecem saias bordadas
pelas mulheres rendeiras.
Sonia Maria Sobreira da Silva – Rio de Janeiro/RJ

14º.  Lugar
A minha vida, hoje em dia,
do que foi nada mais é
que uma jangada vazia,
indiferente à maré.
Maria Madalena Ferreira – Magé/RJ

15º. Lugar
Um garotinho, na areia,
tantos castelos constrói,
sem saber que a maré cheia,
logo que chega... os destrói!...
Carolina Ramos – Santos/SP




TEMA MARÉ – NOVOS TROVADORES

1º. Lugar
Tanto lixo a maré deixa
na rede do pescador,
que o mar bravio se queixa
num triste grito de dor.
José Feldman – Maringá/PR

2º. Lugar
Singrando o mar desta vida,
mesmo ao sabor da maré,
nenhuma rota é perdida,
se eu não perco o amor e a fé.
Aluízio Alberto da Cruz Quintão – Belo Horizonte/MG

3º. Lugar
Eu comparo o meu passado
à maré, na lua cheia:
- Derruba um sonho encantado
e o meu castelo de areia!
Eulinda Barreto Fernandes – Bauru/SP

4º. Lugar
O meu coração errante
é oceano de emoções...
vive em compasso inconstante
na maré... das ilusões.
Luzia Brisolla Fuim – São Paulo/SP

5º. Lugar
A maré que me levou
para tão longe do lar
também cedo me ensinou
que viver é navegar.
Edweine Loureiro da Silva – Saitama/Japão

6º. Lugar
Maré alta, o mar se enfesta;
sobe a lua, explode em prata;
faz-se a noite toda em festa,
e a beleza me arrebata!
Lilia Maria Machado Souza – Curitiba/PR

7º. Lugar
Neste mar de desenganos,
levado pela maré,
em tantos sonhos insanos,
minha força é sempre a fé.
José Feldman – Maringá/PR

8º. Lugar
Maré - que balé gostoso
das dançarinas do mar...
sobem o aclive rochoso
e descem a descansar.
Adamo Pasquarelli – São José dos Campos/SP

9º. Lugar
No mar azul dos teus olhos,
vai meu barco navegando,
bem distante dos abrolhos,
onde a maré vem chegando.
José Roberto Canôas – Barretos/SP

10º. Lugar
Sumiu minha nova trova
rabiscada em plena areia
debaixo de outra mais nova
que chegou na maré cheia.
Carlos Henrique da Silva Alves – Senhor do Bonfim/BA




CONCURSO ESTADUAL DE TROVAS - TEMA ONDA


1º. Lugar
Que a onda leve a tristeza
e me devolva a esperança,
fortalecendo a certeza
de que me espera a bonança.
Jean Carlos Sophiatti – Brusque/SC

2º. Lugar
Quando me deito a seu lado,
as ondas dos seus cabelos
são como ninhos trançados
com finíssimos novelos.
Jean Carlos Sophiatti – Brusque/SC

3º. Lugar
Qual boca sensual, a onda
beija as areias da praia.
Ao final de cada ronda
volta ao seu leito... e desmaia.
Maria Luiza Walendowsky – Brusque/SC

4º.  Lugar
A onda beija os rochedos,
deixando neles gravados
velhos sonhos e segredos
jamais ao mar revelados.
Patricia I. F. Sophiatti – Brusque/SC

5º. Lugar
Tal qual indomável onda
que ameaça as cercanias,
terrível perigo ronda
a criança em nossos dias!
Maria Luiza Walendowsky – Brusque/SC

6º. Lugar
Aquelas ondas serenas
largadas de um mar azul
vão banhar belas morenas
nas praias “quentes” do sul.
Ari Santos de Campos – Itajaí/SC

7º. Lugar
Uma garça passeava
naquela praia pequena
e a onda ali cirandava
na branca areia serena.
Maria Carmen Varejão - Balneário Camboriú/SC

8º. Lugar
No balanço do meu barco,
que vai subindo e descendo,
na onda como em um marco
deixo o que está remoendo.
Patricia I. F. Sophiatti – Brusque/SC

9º. Lugar
O mar molhando os meus pés,
suave balanço da onda;
provocantes cafunés
nas belas noites de ronda.
Arthur Gabriel Silveira – Brusque/SC

10º. Lugar
Pororoca, grande onda,
mexe e remexe os barquinhos,
e no barranco ela estronda
assustando os ribeirinhos.
José Carlos Cercal – Brusque/SC



Coordenação:
Eliana Ruiz Jimenez
Delegada da UBT de Itapema


Homenagens à UBT de Itapema



Trovas classificadas como hors concours, temas onda e maré:


As ondas beijam a areia,
como só visto em cinema,
fazendo espumas à beira
da "flor do mar": Itapema.
Ari Santos de Campos - Itajaí/SC


Na maré, lá, de Itapema,
a UBT, com boa nova,
inaugura a voz suprema
declamando a nossa Trova.
Nei Garcez - Curitiba/PR



Estatísticas e agradecimento

O resultado do I Concurso de Trovas de Itapema será disponibilizado aqui no blog em outro post.

Estatísticas:

Trovas nacionais de veteranos recebidas: 202
Trovas nacionais de novos trovadores recebidas: 86
Trovas do concurso estadual: 29

Total de trovas recebidas: 317

Critérios de desclassificação:

Trovas escritas em letra cursiva;
Trovas em desacordo com o Decálogo de Metrificação (veja post aqui no blog);
Trovas fora do sistema de envelopes (em papel A4).

Cuidados especiais aos novos trovadores:

Os trovadores devem utilizar envelopes tamanho 7x11 na cor branca;
Na identificação que vai dentro do envelope não esquecer de colocar um e-mail para contato.

Evitem:
Envelopes coloridos;
Escrever duas trovas no mesmo envelope;
Escrever a identificação em papel muito pequeno, difícil de desdobrar sem rasgar;
Registrar a carta, utilizar Sedex, AR ou qualquer outra forma de postagem que identifique o remetente.


Agradecimentos:

Agradeço ao corpo de julgadores, assim constituído:

Concurso nacional tema máre para veteranos:

Ari Santos de Campos
Eliana Ruiz Jimenez
Pedro Melo
Thalma Tavares

Concurso nacional tema maré para novos trovadores:

Antonio Augusto de Assis
Arlindo Tadeu Hagen
José Valdez
Prof. Garcia
Renato Alves

Concurso estadual tema onda:

Andrea Motta
Antonio Augusto de Assis
Flávio Stefani
Gislaine Canales
Selma Patti Spinelli


Colaboradores em Itapema:

Antonio Carlos
Sandra Kemmerich


Coordenação geral:
Eliana Ruiz Jimenez




quinta-feira, 4 de junho de 2015

RESULTADO DO CONCURSO DE TROVAS EM ESPANHOL DA UBT DE ITAPEMA/SC

CONCURSO NACIONAL E INTERNACIONAL DE TROVAS EN ESPAÑOL TEMA MAREA:

GANADORES

1º LUGAR:

La MAREA de la mente
porlos amores perdidos
semeja una gran torrente
que arrastra penas y olvidos.

Sara Vaca (AngelinaSara) – México

2º LUGAR:

Soplaelviento suavemente
enlamareadel mar.
Y a sus olasdulcemente
lalunaviene a besar.

Ángela DesiréePalacios – Venezuela

3º LUGAR:

Luna y mar enamorados
enlamarea se besan,
sobrela arena cansados
alasestrellasapresan.

Freddy Ramos Carmona - México

4º LUGAR:
La marea entre corales,
juegaconpeces y arena,
sin saber que losmortales
destruyenlabellaescena...

Cristina Olivera Chávez –  USA


5º LUGAR:

Unmovimientoincesante,
seproduceenlamarea
cuandolaluna triunfante,
anuestras aguas ondea.

Carlos Eduardo Rodríguez Sánchez - USA


MENCIÓN HONORÍIFICA

Canta y baila lamarea
queen mis playashacenido
yen sus notas tararea
rimas, de amor prohibido.

Mirta Lilian Cordido – Argentina


La marea de mi vida
conlatuya se entrelaza
ysiempre a tu ser unida
micorazón se solaza.

Dora Forletti – Argentina


La MAREA desbordante,
acaricia, consu espuma,
ala Luna agonizante;
abrazada,  porla bruma.

Adiyee Nieves Castillo


Cuando suba lamarea
de pasiones contenidas,
anhelo que el mundo vea
mis tristezas concluidas.

DioselinaIvaldy de Sedas – Panamá


Y lallamamosmarea
negandoladesazón
queesevaivén que llamea
provocaenelcorazón.

Ernestina Ramírez Escobar – México



MENCIÓN ESPECIAL

Recuerdos tristes acosan
siempre al alma atormentada
mareas que no reposan
tienenbatallaganada.

Libia Beatriz Carciofetti – Argentina


Soycualbesosin destino
comomareaenlaplaya
queviene y se vasin tino
y una esperanzadesmaya.

Maria Cristina Fervier– Argentina


La marea es cualla vida
con subidas y bajones
queendeseos convertida
da valor con ilusiones.

Héctor José Corredor Cuervo – Colombia



Llega como lamarea
y se diluyeen mi arena
tu voz,  que endulceodisea,
cantosteje, de sirena.

Maria Elena Espinosa Mata – México


El palpitar de mi pecho
lamarea es del amor,
hoy, por ti, vive deshecho
sufriendo tu desamor.

Manuel Salvador Leyva Martinez – México



TROVAS DESTAQUE

La mareasube y baja
comoel ritmo de la vida 
Si  eneldolor se trabaja
laalegríael alma anida.

Olinda Rosa Harache – Argentina


Esa luz de lunallena
bastaconqueyolavea,
paracrecer...y ser plena
comodel mar, la MAREA.

Magui Del Mar – México


¡Sí!,lamarea te trajo
como flor de primavera
dándome como trabajo
besarte por vez primera.

Carlos Imaz Alcaide – Francia


Luna blanca de mis noches
cuandolamareasubes
ascienden más mis reproches
almirarte entre lasnubes.

Eduardo Mauricio Calleros Gallegos – México


Mar muchomás  teembelleces
cuandodanzalamarea, 
baja y subemuchasveces
yentus aguas se recrea.

Stella Maris Taboro – Argentina


Comisíón Juzgadora:

Thalma Tavares
Prof. Garcia  
Lisete Johnson 
A A de Assis 
Eliana Ruiz Jimenez 
Maria Luiza Walendowsky

Coordinadoras:

Cristina Oliveira Chávez 

Gislaine Canales 

terça-feira, 20 de janeiro de 2015

I CONCURSO DE TROVAS DE ITAPEMA/SC

I CONCURSO DE TROVAS DE ITAPEMA/SC
REGULAMENTO


As trovas devem ser líricas ou filosóficas, em língua portuguesa, com os seguintes temas, valendo variação em número e cognatos:

- Âmbito Nacional/Internacional: “Maré” - (exceto Santa Catarina)

- Âmbito Estadual (somente para residentes em Santa Catarina) “Onda” (*)

Cada autor poderá enviar até 2 (duas) trovas, inéditas, pelo sistema de envelopes(**) , para:

I Concurso de Trovas de Itapema/SC
Rua 137 nº. 173 – sala 3
88220-000 – Itapema - SC

Colocar como remetente Luiz Otávio e o mesmo endereço do destinatário.
Deverá constar no envelopinho com a trova o tema no qual concorre. Somente para o tema “Maré” (nacional/internacional) aqueles que desejarem concorrer na categoria “Novos trovadores” devem preencher este requisito: não terem acumulado três premiações em concursos de trovas em âmbito nacional. Nesse caso, é imprescindível escrever “Novo trovador” logo abaixo da trova.

Prazo de remessa: Serão consideradas as trovas postadas até 31/05/2015, valendo carimbo do correio.

Premiação: Publicação na internet e diplomas virtuais para os vencedores.

Os autores selecionados concordam com a divulgação de seus trabalhos em qualquer meio, sem ônus aos organizadores, a título de direitos autorais.


Coordenação: Eliana Ruiz Jimenez
Delegada da UBT de Itapema/SC


(*) Excepcionalmente para autores de Santa Catarina não habituados com os sistema de envelopes, a participação poderá ser feita pelo e-mail poesiaemtrovas@gmail.com digitando a trova no corpo do e-mail (não enviar em anexo) e colocando logo abaixo o nome, endereço completo, e-mail e telefone.
Dúvidas/informações: poesiaemtrovas@gmail.com

(**) Veja neste blog, na postagem abaixo, como é o funcionamento do sistema de envelopes.


O QUE É SISTEMA DE ENVELOPES?


COMO ENVIAR TROVAS PELO SISTEMA DE ENVELOPES


Para remessas de trovas em concursos promovidos ou apoiados pela UBT - União Brasileira de Trovadores, a utilização padrão é a do "SISTEMA DE ENVELOPES" cujo objetivo é padronizar as trovas para preservar o sigilo da autoria:

1) Datilografar ou digitar o tema e a trova na face externa de um envelopinho de cor branca, medindo aproximadamente 8 x 11 cm (não é tamanho carta, é um envelope menor, de convite). Não será aceita trova manuscrita.

2) Colocar dentro desse envelopinho uma papeleta com a identificação do autor da trova, seu endereço completo, telefone, e-mail  e assinatura. Em seguida, lacrar o pequeno envelope, para manter o sigilo exigido nos concursos.
3) Colocar esse envelopinho dentro de outro maior e remeter para o endereço do concurso. Como remetente, colocar sempre "Luiz Otávio", e repetir o endereço do destinatário.

a) Nos concursos em que se possa concorrer com mais de uma trova, todas elas poderão ser enviadas juntas, ou seja, cada qual em um pequeno envelope e todas dentro de um único envelope maior.

b) As trovas a serem enviadas para os concursos deverão ser inéditas, ou seja, não poderão ser trovas já premiadas, nem já publicadas.
c) Trovas enviadas para um concurso e não premiadas, nem divulgadas poderão ser reaproveitadas em concursos posteriores.

d) Eventualmente algum concurso estipula, no Regulamento, que o remetente seja outro nome, e não "Luiz Otávio". Atentar para esse detalhe e seguir o que o regulamento solicita.

OBSERVAÇÕES

I: Se não constar no regulamento específico, não é obrigatória a utilização da palavra-tema na trova (pode ser cognata, ou nem constar, desde que fique claro o sentido da mensagem, em relação ao tema exigido).

II: A divulgação dos concursos em andamento e os resultados consta de Informativos e também de vários sites. O www.falandodetrova.com.br é um deles.

III: Se eventualmente um concurso não utilizar o "Sistema de Envelopes", leia com atenção o regulamento do mesmo, para não correr o risco de ter seu trabalho desclassificado sumariamente.

IV: A partir de 2015 os concursos estaduais/nacionais de trovas líricas/filosóficas, por determinação da UBT Nacional, terão que dividir os concorrentes em "VETERANO" e "NOVO TROVADOR". Se você ainda não conseguiu três premiações a nível nacional, escreva abaixo da trova que enviar: "NOVO TROVADOR". (Boletim da UBT Nacional, nove/2014, pág. 06)

RECOMENDAÇÕES

I: Não inicie todos os versos com letra maiúscula, muito menos digite a trova toda só com maiúsculas, obedecendo sempre a todas as pontuações.

II: Evite enviar simultaneamente para mais de um concurso a mesma trova.

III: Nunca deixe para enviar os trabalhos nos últimos dias. O Correio pode atrasar-se e a maioria dos concursos considera a data de chegada e não a de postagem. Que é outro detalhe a ser visto no regulamento.

IV: Se for premiado, avise em tempo hábil, após receber a competente notificação, se poderá ou não comparecer. Caso compareça, não se esqueça de entrar em contato depois e emitir o seu parecer sobre o evento. As Comissões Organizadoras necessitam muito desses cuidados aparentemente tão simples. Afinal, elas passam o ano todo trabalhando por você.

No mais, concorra sempre. Boa sorte!
Fonte: http://www.falandodetrova.com.br/comoenviar

Exemplo: